Resultado do Concurso! Qual foi a maior loucura que você já fez por uma banda de rock?
Em 25 de julho de 2017

A gente perguntou e vocês responderam! Recebemos comentários incríveis (alguns muito engraçados 😆) dos mais variados fãs de carteirinha, com histórias que comoveram a nossa equipe – às vezes pelo nível de loucura, outras vezes pela simples sinceridade desse amor tão grande e incondicional que muitos têm pelo Rock’n’Roll. Até onde esse pessoal foi para realizar seus sonhos?

Vamos ver!

Eis os 5 ganhadores do concurso (sem ordem específica):

 

André Rosa

“Largados e desbarracados”

A minha história aconteceu quando o David Gilmour, ex-guitarrista da banda britânica Pink Floyd, tocou em Porto Alegre no dia 16 de dezembro de 2015. Convenci o meu irmão que deveríamos passar a noite na fila do show, que aconteceu na Arena do time do Grêmio, de modo a conseguirmos os melhores lugares. Peguei uma barraca emprestada com um amigo, pois achei que montá-la seria tarefa muito fácil.

Triste sonho de uma noite interminável. A barraca era tão grande que poderíamos passar o resto do ano morando nela. Eram peças demais: muitos ganchos, varetas, hastes… sem contar que a lona era tão longa que poderia ser usada para cobrir o estádio do tricolor gaúcho. Na décima tentativa frustrada de erguer a barraca, desistimos de nosso intento. Eram quase duas da manhã. Escolhemos por ir a um bar nas proximidades. Bebemos algo e jogamos muita sinuca. Comovido com nossa incapacidade de montar a barraca, o dono do bar prontamente nos acolheu e dormimos enrolados na lona da barraca.

Refeitos do que quase foi o “pesadelo da barraca maldita”, voltamos pra fila muito cedo e, para nossa felicidade extrema, havia pouco mais de dez pessoas na nossa frente. Passamos um dia incrível (apesar do sol escaldante): partilhamos muitas histórias com fãs, conhecemos pessoas sensacionais e, por fim, conseguimos os lugares mais espetaculares. Guardo os copos e as credenciais do show com extremo carinho, pois os momentos que passei durante o show (em conjunto com os périplos que venci para estar no melhor lugar) estarão comigo por todo o sempre.

 

Érika Gadelha

“A aventureira loroteira”

Avisei os meus pais que iria a outra cidade para um festival que lá teria e que dormiria na casa de uma amiga. Eu mentia. Estava indo de forma totalmente aleatória aquele lugar.

Peguei um ônibus na rodoviária ao meio dia para chegar lá às 14h e esperar até às 20h, quando de fato começaria o show (esse era o único horário de transporte disponível para o dia); bom, deu tempo de ir ao salão de beleza, apenas para colorir minhas unhas já coloridas (e ficar no ar condicionado, obviamente) e de ver boa parte da montagem do palco.

O primeiro ônibus que poderia me deixar em casa após o show sairia às 9h do dia seguinte; era aquele ou nenhum. Sim, em minha loucura, eu estava decidida a passar boa parte da noite na rodoviária, já que conhecidos eu não tinha naquela cidade e, devido ao fato de tudo ter sido planejado de última hora, pousadas com preços não abusivos eu não encontraria. E eu estava muito era feliz, era o show do Humberto que eu veria naquela noite. Faria tudo de novo.

Porém, para a minha surpresa, meu cronograma alterou-se; encontrei uma pessoal de um fã clube do qual participo (O Poeta de Poa) e eles acabaram por me oferecer abrigo na casa de um conhecido deles. Claro que eu não conhecia esse conhecido e claro que eu aceitei KKKK

Dormi três horas antes de ir à rodoviária; tive muito de me policiar para não cochilar enquanto esperava o ônibus e corresse o risco de perdê-lo. Foi loucura, mas minha alma ficou plena.

Obs.: Eu tinha levado um presente para o Humberto e consegui entregá-lo ao Master, que prometeu entregar o pacote ao Loirão.

 

Andreza Moraes Borges

“A moça do pastel”

No dia 26 de agosto de 2016, fui pra capital do meu estado (Teresina, Piauí) para um show do Humberto Gessinger com a intenção de conseguir uma foto bem legal com ele. Cheguei cedo, fui ao local do show pra tentar ver ele na passagem de som. Eu e uns amigos do fã clube (O Poeta de Poa) ficamos esperando no local um tempão, até que recebemos uma ligação e fomos para o hotel onde ele estava hospedado pra tentar conseguir a bendita foto.

Eu sou muito ansiosa, mesmo com fome não consigo comer de tanta ansiedade. Nesse dia eu não tinha comido nada, nem café da manhã, almoço ou lanche, já eram por volta das 18:30 e eu morrendo de fome, mas não queria sair do hall do hotel pra comer, por medo do Humberto descer e eu não estar lá.

Então, uma amiga (Ana Teresa) comprou uns pastéis, me ofereceu e eu aceitei, fiquei comendo e conversando, aí o elevador abriu e o Humberto saiu, enfiei o pastel todo na minha boca e não conseguia engolir de emoção kkkk. Consegui tirar foto com ele, mas minha boca tava cheia de pastel e claramente deu pra perceber na foto. Sem dúvidas esse momento foi épico e vergonhoso kkkkk.

 

Silvinha Minholi

“Na vida, é preciso saber priorizar.”

Eu estava com tudo pronto para a minha formatura da Faculdade em janeiro de 1995. Quando fiquei sabendo que seria a primeira vez dos Rolling Stones no Brasil. Fui ver a data e qual foi minha surpresa ? Seria no mesmo dia do baile de formatura : 27/01/95. Não pensei duas vezes. Era fim de outubro de 94. Comuniquei a minha família que ao invés de dançar a valsa ficaria mais feliz se ouvisse Satisfaction. Até hoje tem gente que não se conforma, mas foi o melhor show da minha vida. Não me arrependi de nada. Faria tudo novamente.

 

Rafael Leite

“Quando em Roma…” 😆

Entre as várias histórias, irei filtrar a mais recente, no dia 05 de agosto de 2016. Estou saindo de Manaus às pressas para Brasília acompanhar determinações profissionais de caráter de urgência de um determinado parlamentar. Como a viagem praticamente foi surpresa para mim, pouco deu tempo para arrumar a mala e precisava embarcar com brevidade.

Fazendo a decolagem, vou visualizar minhas atualização do Facebook e me deparo na página do Humberto Gessinger oficial com a sua agenda – e percebo que nesse mesmo dia tem show em Goiânia e fico estarrecido com a oportunidade de não poder perder esse show, pois moro no Amazonas, tão longe de tudo e de todos.

Chegando em Brasília em torno das 18h, um motorista me aguarda já com inúmeras demandas de serviço e precisei tomar uma das decisões mais rápidas e importante da vida: falei que tinha um tio por parte de mãe em Anápolis, GO, com um documento familiar que precisava ser entregue em mãos e ele só se localizava em Goiás apenas naquela noite e retornaria pro Ceará, de onde somos todos naturais do Nordeste.

Entreguei minha mala pro motorista do Congresso e peguei um táxi direto pra Rodoviária pegar um ônibus pra Goiânia assistir o show. Durante a viagem, no ônibus, estava perguntando para mim mesmo “QUE LOUCURA ESTOU FAZENDO”. Chegando em Goiânia , mais um táxi até o local do evento e cheguei lá exatamente minutos antes do show.

Ao término voltei pra rodoviária e dormi na cadeira de plástico. O primeiro ônibus só teria às 7 da manhã do domingo.
MAS FARIA TUDO NOVAMENTE! Loucura, loucura!
Só restou me explicar a fugida ao chefe no dia seguinte!!!
🤘🤘🤘

 

Parabéns a todos os ganhadores! Nos divertimos muito lendo as histórias de vocês. A partir de hoje, dia 25/07, até amanhã, 26/07, começaremos a contatar os vencedores do concurso através de mensagens privadas no Facebook para definir os detalhes da entrega do prêmio.

Muito obrigada a todos os participantes!

Até a próxima, pessoal 🤘

 

Mais notícias