Oscar Baits: o que são, do que se alimentam e se valem a pena conferir
Em 27 de fevereiro de 2018

Todo ano, naquele período entre novembro e dezembro, é sempre a mesma história. Salas do mundo inteiro são bombardeadas com as maiores apostas dos festivais do cinema. E o que elas querem? O precioso, dourado, Oscar.

Tais filmes, que possuem características bem semelhantes, são conhecidos na indústria como Oscar Baits: aqueles que parecem ter sido produzidos com o único propósito de pescar por nomeações. Você sabe: são os dramas épicos desnecessariamente longos demais, geralmente baseado em eventos históricos trágicos e que esbanjam opulência na sua cinematografia, maquiagem ou figurino. Talvez também o enredo possa se centrar em um personagem atormentado em uma busca por significado na vida.

Reconheceu algum? A questão é: a maioria desses filmes é… bem ok.

Na realidade, muitos desses filmes acabam falhando na sua empreitada pelo reconhecimento da Academia, que hoje tenta atender às necessidades do público que deseja ver mais diversidade na cerimônia.

Maaas isso não significa que os Oscar Baits não mereçam o seu prestígio! Se você ainda ficou na dúvida a respeito do termo, preparamos aqui uma lista com os melhores Oscar Baits dos últimos tempos para você não ficar de fora das conversas cult sobre cinema.

1. O Regresso (The Revenant)

 

 

Então... a gente sabe que este filme só existe basicamente para o Leonardo DiCaprio finalmente ter a chance de ganhar o seu primeiro Oscar como Melhor Ator (e parar de uma vez com os memes). E mereceu, né, tadinho? Para dar realidade ao papel, o galã dormiu em uma carcaça de um animal morto, comeu bisão cru e nadou em rios congelados.

O filme pode até parecer bem chatinho, mas visualmente é impressionante, gravado inteiramente com luz natural no cenário implacável da tundra norte-americana. O Regresso teve 12 indicações ao Oscar, mas levou somente 3 estatuetas para casa.

 

2. Os Miseráveis (Les Miserables)

 

 

A Academia adora musicais. Já o público, ou ama de todo o coração, ou simplesmente não suporta. De qualquer maneira, é quase impossível encontrar uma pessoa que não se emocione com uma performance de I Dreamed a Dream, embora não saibam de onde a música se origina. Pois é, é deste filme (baseado em um musical baseado no livro de Victor Hugo).

Se vale a pena assistir 158 minutos de atores cantando 100% dos seus diálogos e incontáveis números musicais? Isso fica ao encargo da sua consciência.

P.S.: eu amo esse filme mesmo assim, ok?

 

3. O Curioso Caso de Benjamin Button (The Curious Case of Benjamin Button)

 

 

O Curioso Caso de Benjamin Button, lançado em 2008, conta a história de um homem que envelhece ao contrário. Teve seus sucessos no Oscar (ganhou por Melhor direção de arte, Melhor maquiagem e Melhores efeitos visuais), mas considerando que foi indicado para 13 estatuetas no total e só levou para casa prêmios menores, certamente foi uma decepção para o diretor David Fincher e estrelas Brad Bitt e Cate Blanchett.

Embora a "hype" do filme não tenha se concretizado, o filme obteve ótimas críticas e logo tornou-se um clássico do cinema.

 

4. Anna Karenina (Anna Karenina)

 

 

Anna Karenina é visualmente estonteante. Dirigido pelo aclamado diretor Joe Wright e estrelando Keira Knightley, Jude Law e a futura ganhadora do oscar Alicia Vikander, o filme de 2012 recebeu 4 indicações, mas só ganhou Melhor Figurino.

O ponto fraco de Anna Karenina é também o seu maior argumento de venda: tudo no filme é tão impressionante e grandioso que acaba alienando os espectadores da emoção das cenas. De qualquer maneira, vale assistir, já que o talento envolvido na frente e por trás das câmeras é de tirar o chapéu.

 

5.  Extremamente Alto e Incrivelmente Perto (Extremely Loud and Incredibly Close)

 

 

Qualquer filme que tenha na sua receita o Tom Hanks ou Sandra Bullock já pode se considerar um sucesso, certo? Nem tanto. Extremamente alto e incrivelmente perto conta a história de um garotinho com síndrome de Asperger que tenta lidar com o morte do pai durante o 11/09. O filme, que não foi recebido muito bem na época do lançamento, hoje encontra-se na lista de Filmes Mais Pretensiosos de Todos os Tempos e já foi descrito como "lamentavelmente medíocre".

Entretanto, com a distância do tempo, o filme provou ser uma fascinante cápsula do tempo da atmosfera de Nova York imediatamente após a tragédia em 2001. Como se explica isso? Será só implicância com a exploração do tema, tão saturado naquele momento? Não sei. Só sei que o filme (e principalmente o livro!) são histórias comoventes, que valem a pena ser conhecidos.

Fica o desafio: você consegue reconhecer algum Oscar Bait nos indicados a Melhor Filme deste ano?