A história por trás de Abrace seu filho
Em 11 de julho de 2018

Reprodução da entrevista concedida pelo blog Primi Stili.

Por Rafa Donini

 

Quando o Thiago descobriu que seria pai do Dante, seu primeiro filho, ele achava que a receita para cuidar de uma criança era colocar em campo a dupla castigo-recompensa supervisionada por um tanto de autoridade.

Era o jeito que ele conhecia.

Mas o parto humanizado do pequeno e toda a preparação que ele trouxe - leituras, reflexões, conversas com a esposa - mostrou que havia outros jeitos de nascer. E se tem jeitos diferentes de vir ao mundo, por que não haveria jeitos diferentes de crescer nele?

“Minha visão de pai para filho era hierárquica: filho tinha que obedecer para eu ter respeito. Depois eu descobri que isso era medo. Respeito é o que os meus filhos têm por mim hoje”, avalia o autor, que fala sobre como criar os filhos através do afeto já há vários anos no blog Paizinho, vírgula!.

Thiago criou uma rede de pais que discutem uma paternidade participativa, próxima e cuidadosa - atenta aos filhos, suas necessidades e particularidades. E esse olhar é permeado pela disciplina positiva, um dos temas do livro Abrace Seu Filho, que está chegando às prateleiras.

A gente olha para os nossos filhos como se fossem pequenos robozinhos que apresentam problemas que precisam de correções para que possam performar da maneira como a gente gostaria que eles performassem. A disciplina positiva é muito mais sobre a gente do que sobre eles. Você não vai aprender sobre como fazer o filho tomar banho sem chorar ou comer legumes. Não é sobre isso. Isso é consequência da relação que se constrói. Às vezes dá certo, às vezes dá errado. Mas a gente tem que focar na relação. Uma relação de respeito, de empatia”, avalia.

A motivação para ir além do blog e publicar um livro veio da falta que sentiu quando precisou de literatura sobre paternidade de verdade e não encontrou.

Thiago comenta que os livros que ganhou quando estava prestes a virar pai eram mais recheados de piadas do que de qualquer outra coisa. Falavam sobre como os pais eram desajeitados e faziam tudo da maneira errada.

“Eu queria acessar o que aquele pai estava sentindo, o que ele estava pensando, como foram os primeiros dias. E esse livro não existia. Eu queria muito ter lido um livro assim [como o Abrace o Seu Filho]”, lembra.

Thiago garante que estudar disciplina positiva e paternidade fez com que ele mudasse a maneira como vê o mundo: “Foi através da paternidade que eu consegui desconstruir muito do meu machismo, do meu racismo, da minha homofobia, e ser um cara muito mais empático, que consegue se comunicar de uma maneira não-violenta”.

 

O livro Abrace seu filho está disponível aqui.

Todas as vezes que você abraça seu filho, você se cura um pouco.
Todas as vezes que você abraça seu filho, você é abraçado de volta.
Não perca nunca essa oportunidade que a vida lhe dá.
Abrace seu filho agora.
É o melhor que você pode fazer.
Por ele e por você.

 

Mais notícias