Vocês não são estranhos se gostarem da mesma banda
Em 26 de abril de 2017

Vocês não são estranhos se gostarem da mesma banda

.

.

Por Candice Soldatelli*

Especial para a Editora Belas Letras

.

Imagino que o mesmo aconteça com outras bandas clássicas, mas com o Rush é inevitável: basta avistar um desconhecido na rua ou num show usando uma camiseta da banda e eu abro aquele sorriso, porque a impressão que dá é a de que já conheço a pessoa sem jamais ter trocado uma palavra sequer com ela.

Desde que tive o privilégio de traduzir os livros de Neil Peart para a editora Belas Letras – que estão na promo nesta semana, aproveitem! -, conheci várias pessoas por causa desse elo com a banda e muitas delas hoje são meus amigos pessoais (um olá aos membros do grupo do WhatsApp Rush Brasil, brother-and-sisters-in-Rush haha). São pessoas muito diferentes, com histórias de vida e profissões diversas, gente mais velha, gurizada mais novinha, nordestinos, cariocas, paulistas, gaúchos, mineiros, norte-americanos, argentinos, ingleses, não há fronteiras para nós: nos sentimos muito próximos uns dos outros porque, de certa forma, a música do Rush nos une.

Há uma infinidade de memes (confira abaixo) sobre a banda de Geddy Lee, Alex Lifeson e Neil Peart, alguns brincando com o fato de que nós, fãs do power trio, somos chatos e exigentes. E, sim, somos, somos chatos, detalhistas, nerds assumidos. Eu mesma já participei de discussões infinitas em grupos do Facebook como o Rush Brasil Fãs, CYGNUS-X1.Net, Clockwork Angels (Rush Fans United), Neil Peart Fan Club e nos comentários das matérias de portais como Rush Fã-Clube Brasil (comandado pelo presidente Vagner Cruz) e o irreverente Portal Rush Brasil (pilotado pelo brother-in-Rush Tanios Acacio). Numa das discussões mais recentes, alguém ousou questionar “qual é a música do Rush de que você menos gosta?” – “menos gosta” porque nenhum fã verdadeiro de Rush realmente “odeia” alguma música: foram mais de 200 comentários e o debate continua – a minha resposta foi Tai Shan, seguida de perto por Speed of Love. As discussões geralmente são intermináveis porque o pessoal começa a dissecar cada faixa, cada álbum, cada instrumento (foi memorável um debate sobre os baixos de Geddy Lee – “Você prefere Rickenbacker ou Fender?”)

A verdade é que o Rush é uma banda formada por músicos absurdamente talentosos, gênios, e as letras complexas – que saem daquele combo sobre amor, drogas e angústia juvenil típico das letras de rock – atingem níveis altíssimos de questionamentos existenciais e filosóficos, exigindo, digamos, certo nível cultural e intelectual para serem devidamente compreendidas e apreciadas. Não é à toa que Neil Peart inclusive já recebeu vários prêmios literários com a publicação de Ghost Rider – A estrada da cura, Masked Rider – O ciclista mascarado e a série de crônicas de viagens que iniciou com Far and Away – Longe e distante (todos já publicados pela Editora Belas Letras).

Sou grata por cada pessoa que entrou na minha vida graças a esse elo musical e intelectual: não tem conversa chata se o assunto envolver Lee, Lifeson e Peart. E seguem alguns memes bem populares só para descontrair 😉

Rush é inquestionavelmente uma espécie de prova de fogo para quem se diz músico

 

Pena que não seja tão simples assim hahaha

 

“Rush: fazendo você se sentir um músico de merda desde 1974” Fato!

 

Sim, nossa lealdade é incomparável 🙂

 

 

* Tradutora e jornalista

 

 

Conheça o livro

 

Mais notícias
mautic is open source marketing automation